terça-feira, 1 de abril de 2014

Ainda Delahunty


   É interessante como Delahunty, no livro citado no post anterior, faz críticas a Spinoza, mas, ainda assim, se mostra totalmente "fã" da filosofia do holandês. 
   Primeiro, baseado numa crítica de Jerome Neu, Delahunty apresenta as dificuldades que aparecem ao considerarmos diversas passagens que envolvem a classificação das emoções em ativas e passivas. Ao fechar o item "The passions", na página 236, o comentador escreve: "These four difficulties seem to me to tell, not so much against my reading of Spinoza, as against Spinoza himself". 
   Se isso poderia levar Delahunty a questionar a filosofia spinozana como um todo, não é o que efetivamente acontece. No Capítulo VIII (Freedom and Reason), na página 255, por exemplo, vejamos o que ele diz: "Part IV of the Ethics presents a picture of the life of the Spinozist sage, the 'free man'. [...] The picture we are given is as beautiful and as impressive as anything of its kind in philosophy; it can be compared with Aristotle's study of the 'great-souled man', which it seems intended to rival (Nichomachean Ethics, IV, Section 3)."
   Bonito e admirável, hein!!!

2 comentários:

Pedra do Sertão disse...

Fazia tempo que não vinha por aqui...também sei muito pouco sobre Spinoza,está na enorme lista...mas gostei de seu ponto de vista. Deu mais curiosidade em ler. Me deliciei com a leitura das frases de Eduardo Paes....alguém deveria fazer algumas em relação aos políticos daqui de Natal...

Abraços,

Pedra do Sertão

www.pedradosertao.blogspot.com

Ricardo disse...

Querida amiga:
Muito obrigado pela visita e pelo comentário.
Particularmente, incentivo a colocação de Spinoza uma pouco mais acima na sua "enorme lista". Rsss.
Sobre Natal... e seus políticos. Fui aí em janeiro do ano passado. Como "turista", achei tudo ótimo. O problema é experienciar as mazelas locais no dia-a-dia. Pior ainda é saber que, pelo menos, algumas delas teriam solução, caso os senhores políticos pensassem realmente na população.
Grande abraço.