segunda-feira, 8 de abril de 2013

Mente sã... em um corpo sadio

   Uma mais leve, agora... Ufa...   
  
   Se é possível existir uma mente sem um corpo, eu não sei. Opino que não seja. De qualquer forma, enquanto estou na "duração" - lembrando nosso querido Spinoza -, vou cuidando desse "modo finito da Extensão" - repetindo, também o luso-holandês.
   Ultimamente, para cuidar do corpo, tenho corrido. Bem... na verdade, correr, já o faço desde uns dezoito anos, sozinho; mas agora estou participando de corridas de rua, com aquele montão de gente. Tem sido muito interessante. O ambiente é bastante legal. Pena que não haja uma "Corrida Filosófica"... Vou sugerir isso a alguém. 
   Ops... voltando do meu desvio...
   Ontem, domingo, participei de uma corrida no Aterro do Flamengo - Série Delta, 1ª etapa. Antes, só corria 5 km. Oficialmente, foi meu debut nos 10 km. E não é que consegui ficar em 21º lugar na minha categoria ("coroas" entre 45 e 49 anos)?! Boa estreia, não foi?
   À noite, tive que fazer uma reidratação com cervejas. Afinal, ninguém é de ferro. Rsss.

2 comentários:

Guilherme R. Fauque disse...

Eu penso que exista... :p

De qualquer forma, uma corridinha é ótimo! Mas não força muito... senão, você deixa o corpo para trás e vai ter que viver só com a mente, quer dizer, no teu caso complica mais... kkkkkkkkkk

Brincadeira, meu amigo.

Abração

Ricardo disse...

Que felicidade reler meu amigo Guilherme Fauque. Apesar de seus ótimos blogs, reconheço que estou em falta em fazer-lhe visitas.
Agradeço-lhe a visita e o comentário brincalhão.
Grande abraço, Guilherme.